segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Governo NÃO PARA contratações para Polícia Civil e orçamento já prevê novos concursos

O Governo de São Paulo NÃO PAROU as contratações da Polícia Civil e nomeou, agora em setembro, mais 47 Agentes Policiais remanescentes do concurso de 2012, para cerimônia de POSSE que realizada dia 15/09/2015 às 10h, na Divisão de Administração de Pessoal do DAP, 13º andar, localizada à Rua Brigadeiro Tobias, 527 - Luz - São Paulo/Capital.

Parabéns aos novos Policiais Civis!!! Veja a lista dos nomeados clicando aqui.

Projeto entregue na Alesp no último dia 1º de outubro reserva verbas para contratações. Órgão possui pedido de 3.176 vagas, em diversos cargos, de níveis médio e superior. Até R$ 10 mil

Fernando Cezar Alves - Jornal dos Concursos - Publicado em 02/10/2015

           Boa notícia para quem pretende ingressar no quadro de servidores da Polícia Civil de São Paulo (PC/SP). Acontece que o projeto de lei orçamentário de 2016 (PL 1298/2015), entregue no último dia 1º de outubro na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), destina um total de R$ 30,5 milhões para o órgão, especificamente para “realização de concursos públicos pela Academia de Polícia para as diversas carreiras policiais, bem como de cursos de formação e aperfeiçoamento dos policiais integrantes da Polícia Civil”. A proposta determina um total de 8.200 servidores, incluindo nomeação de aprovados em concursos já iniciados e realização de novos certames.
           Desta forma, mesmo com o processo de contenção de gastos pelo qual o Governo de São Paulo vem passando, em decorrência da queda da arrecadação, o que vem restringindo a autorização de novos concursos por parte do governador Geraldo Alckmin, a expectativa é de que as seleções para o órgão sejam priorizadas.
           Embora o decreto 61.466, divulgado pelo governador em 3 de setembro, restrinja a contratação de servidores e a abertura de seleções, ele ressalta que estes ainda poderão ocorrer, desde que previamente autorizados pelo Governo, em decorrência de efetiva necessidade.
           Atualmente, a corporação está em fase final de uma série de concursos iniciados em 2013. De acordo com o delegado divisionário de concursos da Academia de Polícia (Acadepol), Pedro Tonelli Neto, todos os certames deverão ser concluídos ainda em outubro.
           Além disso, em entrevista recente à imprensa, o próprio secretário de segurança pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, ressaltou que o governo vem investindo no aumento do efetivo policial no estado.
           O pedido encaminhado ao governo, desde o final de 2014, é de 3.176 vagas, sendo 851 para cargos com exigência de ensino médio e 2.325 para nível superior, com remunerações iniciais de R$ 3.365 a R$ 10.079,28, com jornadas de 40 horas semanais.

Ensino Médio
           As oportunidades de ensino médio são para os cargos de agente policial (249 vagas), atendente de necrotério (54), auxiliar de papiloscopista (136), papiloscopista policial (72), agente de telecomunicações (252), auxiliar de necropsia (36), desenhista técnico pericial (11) e fotógrafo técnico pericial (41).
           Para os cargos de agente policial, atendente de necrotério e auxiliar de papiloscopista, o inicial é de R$ 3.365, já considerando R$ 571,51 de adicional de insalubridade. Já nos casos de papiloscopista, agente de telecomunicações, auxiliar de necropsia, desenhista técnico e fotógrafo, o inicial é de R$ 4.023,29, já com o complemento.
           A diferença salarial se refere à lei complementar 1.249, sancionada pelo governador Geraldo Alckmin em 3 de julho de 2014, que altera de ensino fundamental para médio a exigência para os cargos de agente, atendente de necrotério e auxiliar de papiloscopista, sem compatível alteração salarial.

Nível Superior
           Para nível superior, o pedido é para os cargos de escrivão de polícia (922), investigador de polícia (985), médico legista (68), perito criminal (129) e delegado de polícia (221). Os iniciais são de R$ 4.171,49 para investigador e escrivão, R$ 8.538,49 para legista e perito e R$ 10.079,28 para delegado, já com o adicional.    
           De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, deverão ser nomeados, nos próximos meses, 3.040 servidores, somente para os cargos de delegado (120), escrivão (780) e investigador (2.140), aprovados no último concurso, o que reforça a intenção do governo em manter investimentos na área de segurança, mesmo durante a crise econômica pela qual o governo vem passando.